buenozdiaz


VI Bienal de cultura da UNE em Salvador – Comunicação e Artes
Telégrafo

Telégrafo

Ministrei entres os dias 21 e 23 de janeiro a oficina Poéticas da Rede na VI Bienal da Une em Salvador, na Faculdade de Belas Artes – UFBA.

A oficina foi dividida em duas partes, uma teórica e uma prática.

Orson Welles

Orson Welles narrando "A Guerra dos Mundos", 1938.

Na teórica, apresentei um panorama das intervenções artisticas em meios de comunicação, ao que chamei de “Poéticas da transmissão”*. Dentre estas intervenções, apresentei primeiramente as experiências pioneiras, que compreendiam intervenções em rádio, televisão, vídeo e telefone, com os artistas Walter Ruttman, Ernie Kovacs, Orson Wells, Nam June Paik, entre outros trabalhos que lidam com as transmissões de ponto a ponto, ou seja, que ainda não se configuravam em rede, como veremos no contemporâneo.

Eduardo Kac - Teleporting as unknow state

Eduardo Kac - Teleporting An Unknown State, 1994-2003

Na segunda parte, sobre as experiências contemporâneas, os trabalhos passaram pela netart, geolocalização, biocibernética, “artes locativas”, entre outros, a partir de artistas como Eduardo Kac (Teleporting An Unknow State), Antoni Muntadas (www.thefileroom.org), Gilbertto Prado (Desertesejo), Antoni Abad (Canal Motoboy – http://www.zexe.net), entre muitos outros projetos que configuram seus trabalhos a partir das transmissões em rede.

Vista para o mar - Salvador,BA

Vista para o mar a partir do Largo do Campo Grande em Salvador na Bahia. A imagem foi aplicada sobre o mapa da praça a fim de denunciar a perda desta vista por conta das grandes construções ao seu redor.

Já na atividade prática, sugeri que os participantes pensassem sobre a cidade de Salvador, principalmente sobre a arquitetura. Um dos pontos importantes que surgiu, foi que, por conta da especulação imobiliária, prédios foram construídos no alto de grandes avenidas e praças de Salvador, fechando toda e qualquer vista para o mar a partir destes pontos. Desta maneira, entendemos que a fim de privilegiar a vista de 50 ou 100 pessoas, fecharam e introduziram bruscamente prédios nestas áreas com vista para o mar e do alto.

As oficinas aconteceram próximo ao Largo do Campo Grande, portanto, foi ali o local escolhido para criarmos a nossa atividade prática e crítica. Saímos para as ruas e fotografamos tanto o largo, quanto a sua possível vista para o mar, entrando na garagem de um destes prédios que se colocam na frente desta vista. Após estudarmos as imagens, decidimos que como uma espécie de resgate crítico sobre aquela vista, publicaríamos no álbum de fotos geolocalizadas online “Picasa”, a imagem do mar sobre a praça. Como se alguém que fosse navegar por aquela área do mapa, pudesse ter acesso a esta vista, que não existe mais nos últimos anos.

Veja a inserção da imagem no mapa:
http://tinyurl.com/c2yan8

A oficina foi muito produtiva e contou com participantes do Rio de Janeiro, São Paulo, Paraíba e Amapá.

* Parte da apresentação “Poéticas da Transmissão” foi construída e orientada pela Profa. Dra. Christine Mello. Em treinamento de ação cultural ao Sesc SP.


Leave a Comment so far
Leave a comment



Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s



%d bloggers like this: